Tradutor

Bolsa de Lisboa

domingo, 20 de setembro de 2009

VIGILÂNCIAS OU GOLPE DE ESTADO?


Líder da Oposição

Há por aí uns artistas que nos tentam convencer de que o primeiro-ministro pediu às secretas para vigiarem Cavaco Silva e os seus assessores anónimos. alguns acrescentaram mesmo o jornal Público à lista dos vigiados sendo de esperar que a lista continuem a aumentar.

O Presidente não falou quando o tema foi falado pela primeira vez, não falou quando se falou pela segunda vez e agora está demasiado atrapalhado para falar, diz que fala depois das eleições. Isto é, se Sócrates perder as eleições, como deseja a Presidência da República deseja, o assunto está arrumado, a conspiração teve os seus resultados. Se Sócrates ganhar as eleições deixa de fazer sentido prosseguir com a conspiração.

O facto é que este caso rebenta e é aproveitado por Cavaco Silva e Ferreira Leite para simular uma crise institucional num momento em que o PSD estava em dificuldades e as sondagens apontavam para uma derrota. Cavaco SIlva aposta tudo a uma semana das eleições, deixando de ser Presidente da República para se transformar no verdadeiro líder do PSD.

O silêncio de Cavaco Silva só tem um motivo, qualquer intervenção neste momento só levaria à conclusão do seu envolvimento numa conspiração pouco digna de um Presidente da República de Portugal. Ao calar-se confirma as instruções que deu ao seu assessor e ninguém acredita que se estivesse mesmo preocupado com escutas e tivesse a mais pequena prova disso não era a um jornalista que recorria.

Um democrata sabe que é à Procuradoria-Geral da República e não a um jornalista a mando de Belmiro de Azevedo que cabe velar pela legalidade democrática. Se Cavaco suspeitasse de algo e e isso não passasse de uma mania da perseguição teria chamado Pinto Monteiro a Belém e pedido uma investigação.

Ao recorrer a um jornalista Cavaco não pretendeu apurar qualquer verdade, apenas tentou lançar a suspeita sobre José Sócrates sem que tenha apresentado qualquer prova. Dizer que vai fazer perguntas depois das eleições é ridículo, apenas significa que Cavaco aposta tudo nas eleições. Se estava preocupado com eventuais escutas desde Abril não faz o mais pequeno sentido qu trate do problema em Outubro, isso só significa que Cavaco Silva sabe muito bem que tudo isto não passa de uma invenção absurda do Palácio de Belém e apenas visa transformar um acto eleitoral democrático numa imensa encenação montada por políticos sem escrúpulos, por gentes sem a mais pequena formação democrática que sonha com um caudilho.

Os portugueses terão nestas eleições a oportunidade de explicar a Cavaco que estão fartos de tentativas de homicídio político, de processos duvidosos, de manipulações de processos judiciais e de golpes baixos.

Escrito por Vasquinho (jardim Digital)

Votar em partidos fora do centrão siginifica dar no fôlego e nova vida à Democracia. Digo EU

1 comentário:

  1. Aquilo que todos ou quase todos suspeitavam aconteceu. O Presidência da República assumindo-se como responsável por toda esta embrulhada (Líder da Oposição), demitiu o Assessor Fernando Lima. É pena que o Sr. Presidente não faça qualquer comentário relativamente a este assunto demasiado grave e lesivo da Democracia Portuguesa. Após esta demissão não resta outra coisa ao PSD senão pedir desculpa a todos os Portugueses pelos insultos proferidos a este propósito no comicio da passada sexta-feira em Coimbra. Com o inicio do fim deste episódio os Portugueses devem repensar o seu voto, dando força à esquerda. No nosso Distrito a força de esquerda e o voto útil é na CDU.

    ResponderEliminar