Tradutor

Bolsa de Lisboa

sábado, 3 de outubro de 2009

Portugal não pode contentar-se com os restos de Espanha


A qualidade e quantidade de água que entra em Portugal, através do Tejo Internacional, tem de ser fiscalizada, no sentido de preservar os ecossistemas e de não comprometer, em última instância, o desenvolvimento regional.
Os espanhóis enchem um garrafão de cinco litros de água, mas a Portugal só chega um copo meio cheio.

Sem comentários:

Enviar um comentário